Indústria de plástico lança filme de PVC com tecnologia que inativa coronavírus

A Alpfilm, indústria especializada em produzir e fornecer embalagens plásticas, acaba de obter do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) a certificação de que um dos seus produtos, o AlpFilm Protect, é capaz de inativar o vírus causador da Covid-19. O filme de PVC leva em sua composição micropartículas de prata, elemento chave para que a barreira plástica alcance níveis de até 99,99% de eficiência no combate à transmissão por contato.

A tecnologia já fazia parte deste produto e foi desenvolvida em 2014 para conferir propriedades antifúngicas e bactericidas ao filme de PVC. Diante da pandemia, a empresa resolveu submeter a composição de prata as análises do QuasarBio, um laboratório de biossegurança de nível 3 (NB3) da USP, um dos poucos no Brasil que faz essa validação com o Sars-Cov-2 ativo.

“A análise apontou que o filme plástico PVC AlpFilm apresenta respostas positivas que chegam a 79,9% de inativação nos primeiros três minutos, chegando a 99,99% de eficácia em até 15 minutos, um resultado bastante animador”, explica o professor Lucio Freitas Junior, pesquisador do ICB-USP.

O laudo com os resultados foi entregue à empresa no começo de outubro. “As micropartículas de prata hoje são aplicadas industrialmente em várias matérias-primas, mostrando resultados positivos quando acontece o contato do novo coronavírus em diferentes superfícies. Isso nos permite aumentar cada vez mais o leque de ações para a aplicação da solução em produtos que podem ajudar no combate à Covid-19 com eficácia”, constata Gustavo Simões, CEO da Nanox, empresa que fornece as micropartículas de prata que conferem a proteção do AlpFilm Protec.

Relançamento e venda

Diante dos resultados, a Alpfilm agora está se preparando para relançar o produto no mercado com avisos na embalagem sobre a eficácia no combate ao novo coronavírus. “O AlpFilm Protect pode ser aplicado em qualquer superfície nas quais as pessoas toquem com grande frequência, inclusive nos celulares”, diz Alessandra Zambaldi, diretora de comércio exterior e marketing da Alpfilm.

Com distribuição nos segmentos industrial e varejista, o filme de PVC produzido nas fábricas em São Paulo e Goiânia já estava sendo utilizado em embalagens de alimentos e, durante a pandemia, também na proteção de máquinas de cartões. Com a certificação, a empresa projeta um crescimento de demanda pelo produto de aproximadamente 20% a partir de 2021.

Por GazzConecta

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *