Área Médica

Cerca de 35% dos equipamentos plásticos utilizados na área médica são de PVC. Entre eles, estão muitos instrumentos utilizados em exames, cirurgias e recuperação de pacientes, tais como bolsas de sangue, tubos endotraqueais, bolsas de soro, cateteres cardiovasculares, tubos que saem do coração do paciente e levam o sangue até a máquina de circulação extra-corpórea, sondas e equipamentos de alimentação enteral, cânulas de perfusão e ponteiras para micropipetadores e equipos para soro. 

Este uso extensivo e já consagrado do PVC na área médica demonstra o papel social desempenhado pelo PVC e a segurança do material em usos críticos, entre outras características relevantes.

Principais características:

::Versatilidade – Por suas múltiplas aplicações, o PVC pode se adaptar às exigências específicas do uso a que se destina, como por exemplo as características de proteção a medicamentos delicados (impermeabilidade a odores e proteção contra oxidação, maleabilidade, entre outras). 

::Confiabilidade – Durante mais de 50 anos, o setor médico acumulou larga experiência em produtos feitos à base de PVC. É um dos materiais mais pesquisados do planeta e aprovado pelos órgãos de controle do setor de saúde, como a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Ministério da Saúde, FDA – Administração Federal de Medicamentos e Alimentos dos Estados Unidos, Farmacopeia Europeia, Ministério da Saúde do Japão. 

::Segurança – A alta transparência do produto permite saber com precisão o que se passa dentro de um sistema à base de PVC. Bolhas de ar, entupimentos ou incrustrações são facilmente identificadas e instantaneamente corrigidas, evitando complicações. O PVC pode ser soldado com segurança, à prova de vazamentos e contaminações provenientes do ambiente externo.

::Praticidade – O conforto no uso é muito importante tanto para os profissionais de saúde como para os pacientes. Em casos de atendimentos de emergência fora dos hospitais, as características de fácil empilhamento, estocagem e movimentação dos artigos médicos à base de PVC, viabilizam os trabalhos nas unidades móveis. E, para os pacientes, propicia maior mobilidade. 

::Produtos coloridos – O PVC pode ser fabricado em todas as cores imagináveis, o que facilita a identificação de produtos, sejam eles dutos, embalagens ou qualquer outro.

::Resistência – O PVC, que é inerte, é um dos materiais que apresenta maior resistência aos métodos de esterilização (vaporização, óxido de etileno ou raios gama).

::Leveza – O PVC é extremamente leve, o que permite importantes economias de transporte e instalação, sem contar que facilita o manuseio do corpo clínico.

Reciclagem

Além de facilitar o trabalho dos profissionais da saúde e melhorar a vida dos pacientes, o PVC é um produto 100% reciclável, contribuindo para a preservação do meio ambiente e conservação dos recursos naturais. 

Artigos médicos hospitalares de PVC pós-consumo, observadas algumas restrições como contato com certos medicamentos e sangue, podem facilmente ser reciclados e usados na fabricação de outros produtos, desde que devidamente coletados. Um projeto piloto, feito pelo Instituto Brasileiro do PVC no Hospital Carlos Chagas em Guarulhos/SP, mostrou a viabilidade técnica da reciclagem de resíduos de PVC gerados em estabelecimentos hospitalares. Funcionários receberam orientação de como destinar adequadamente bolsas de soro e equipos de forma a evitar a inviabilização da reciclagem com a contaminação do material. Assim, todo o material coletado foi encaminhado para reciclagem e posterior produção de novos produtos.

Mobiliários Adaptados em PVC 

A partir de tubos, conexões, forros, chapas e outros produtos feitos em PVC, a terapeuta ocupacional Grace Gasparini desenvolveu, com apoio da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), de Campo Grande/MS, mobiliários adaptados em PVC para reabilitação de crianças carentes com disfunções neuromotoras. O objetivo é ajudar no desenvolvimento motor de crianças com dificuldades de locomoção dando oportunidade a elas de realizar atividades que nunca imaginaram poder fazer, alcançando uma melhora na qualidade de vida. Os equipamentos disponíveis no mercado têm alto custo, e são muitas vezes importados, o que foi facilitado com o uso do PVC que é muito mais acessível. 

Os equipamentos produzidos com PVC são feitos com a participação da família e sob medida. Dentre os equipamentos desenvolvidos estão: cadeira para vaso sanitário, andador regulável, mesa regulável e cadeira para postura sentada em 90 graus com mesa acoplada.

Posteriormente o projeto foi implantado na Associação Catarinense de Ensino (ACE) em Joinville/SC e na Faculdade de Medicina do Grande ABC em Santo André/SP nos quais o tema se tornou matéria da grade curricular do curso de Terapia Ocupacional.