Na Califórnia, academia reabre com baias de plástico que permitem aulas em grupo

A diminuição de alunos por turma ainda não era suficiente para manter a segurança nos treinos. Por isso, a Inspire South Bay Fitness implementou a inovação

Peet Sapsin, proprietário da Inspire South Bay Fitness, uma academia na Califórnia, encontrou uma maneira para seus clientes praticarem atividade física em grupo sem desrespeitar o distanciamento social e as regras do estado norte-americano. 

A diminuição de 24 para 9 alunos por turma ainda não era suficiente para manter a segurança nos treinos. Por isso, a academia implementou um novo conjunto de baias de plástico individuais. Elas permitem inclusive que os clientes participem da aula em grupo sem máscara.

Contudo, a instalação não oferece a segurança de uma academia a céu aberto, então treinos individuais são realizados em outro espaço – onde clientes e personal trainers utilizam EPIs (equipamentos de proteção individual), como máscaras, e permanecem fisicamente distanciados.

Em entrevista ao Business Insider, Sapsin contou que teve a ideia das baias depois que os alunos reclamaram da dificuldade de respirar usando máscaras enquanto realizavam aquele tipo de treino.

As novas baias de 1,80 metro de largura e 3 metros de altura levaram cerca de três dias para ser construídas e são feitas de cortinas de chuveiro e tubos PVC – uma alternativa mais econômica ao acrílico plexiglass.

Na chegada, os clientes desinfetam as mãos e medem a temperatura – com uma pistola sem contato. Então, cada um é designado para uma das nove estruturas, que contêm todo o equipamento necessário para as aulas, como halteres e um banco – para que não precisem sair.

Cada cápsula tem três lados fechados pelo plástico, com as “costas” e a parte superior abertas, o que levou alguns a questionar quão segura é a alternativa. No entanto, muitos membros da comunidade local elogiaram a iniciativa. “A equipe da Inspire fez um trabalho fantástico ao fornecer um treino socialmente distanciado. Baias de treino individuais foram montados com tudo o que você precisa para a aula.

Desinfetante para você e para o equipamento”, contou um deles em uma plataforma de avaliação de estabelecimentos comerciais.

O empreendedor contou que os últimos meses foram “extremamente difíceis”. Ele perdeu cerca de 50% de seus clientes quando o estúdio foi fechado pela primeira vez e havia investido recentemente em uma expansão, o que aumentou ainda mais seus custos. “Se tivéssemos que fechar por mais dois meses, não acho que poderíamos reabrir”, disse Peet Sapsin.

Foto: Reprodução/Instagram

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *