Instituto Brasileiro do PVC

Desenvolvimento sustentável / Educação

Desenvolvimento sustentável

O PVC tem todos os atributos para contribuir de forma ativa para o desenvolvimento sustentável, oferecendo facilidades e conforto aos usuários finais. O Instituto Brasileiro do PVC oferece informações atualizadas e orientações de práticas sustentáveis à cadeia de valor do PVC.



Conceito do Desenvolvimento Sustentável


“Desenvolvimento Sustentável é aquele que atende às necessidades presentes sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atender suas próprias necessidades” (Comissão Brundtland).

Esse conceito, discutido e aprovado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92), é uma visão ampla e avançada da obrigação do homem atual em promover o desenvolvimento até o máximo de suas necessidades e capacidade, preservando a integridade dos recursos naturais e humanos, que serão sempre a fonte para o desenvolvimento continuado das gerações futuras.


O desdobramento desse conceito permite visualizar três áreas de atuação conjunta, que devem ser harmonizadas para que possamos atingir o Desenvolvimento Sustentável: Desenvolvimento Econômico, Sustentabilidade Ambiental e Responsabilidade Social.


Desenvolvimento Econômico: a indústria tem alta qualificação tecnológica para oferecer produtos que atendam às necessidades do mercado e que, a partir de seu desenvolvimento, produção e comercialização, agreguem valor para a economia, contribuindo para a geração de empregos e para a formação do Produto Interno Bruto (PIB) do país;


Sustentabilidade Ambiental: a atividade industrial deve se desenvolver segundo critérios que garantam a segurança e a qualidade dos ecossistemas e da biodiversidade para as gerações futuras;


Responsabilidade Social: toda atividade econômica e, em particular, a industrial, deve ter como linha mestra a Responsabilidade Social. Isso significa não apenas o respeito básico e indispensável ao ser humano, reconhecendo suas diferenças étnicas e religiosas, mas também a responsabilidade pela oferta de bens e serviços que permitam melhorar a qualidade de vida da sociedade e promover o seu progresso.



A Contribuição do PVC para o Desenvolvimento Sustentável


Ao se colocar na trilha do Desenvolvimento Sustentável, a cadeia produtiva do PVC não conta apenas com a confiança do mercado, mas age como parceira da sociedade na busca de um futuro mais promissor.


A cadeia produtiva do PVC tem dado importante contribuição para o Desenvolvimento Sustentável global. Os produtos de PVC estão completamente inserido nos pilares da sustentabilidade pois ajudam na conservação dos recursos naturais, melhoram a qualidade de vida das pessoas e contribuem para o crescimento econômico. Entre os benefícios do PVC relativos à sustentabilidade, listamos:


Vocação social

Por atender de forma eficaz a necessidades vitais da sociedade em áreas como habitação, saneamento básico e saúde.


Benefícios ambientais

Diversos produtos de PVC têm funções que ajudam a proteger o meio ambiente, como é o caso dos tubos e conexões, largamente empregados em saneamento básico, e das janelas e portas de PVC, que proporcionam excelente isolamento térmico e acústico, gerando economia substancial de energia.


Eco-balanço positivo

O sal marinho, recurso natural inesgotável, é a principal matéria-prima do PVC. Além disso, ele é um material 100% reciclável e apresenta baixo consumo de energia em sua produção.


Competitividade

A facilidade de instalação, a durabilidade e a baixa manutenção tornam os produtos de PVC extremamente competitivos, com excelente relação custoxbenefício para áreas como habitação, eletroeletrônicos, indústria automotiva e área médica.



PVC, um plástico 100% reciclável


A reciclagem do PVC não é uma novidade. Historicamente, ela acontece desde o começo da sua produção. No entanto, só tomou impulso de forma mais organizada com os movimentos ecológicos nos países desenvolvidos. A razão é que os resíduos plásticos vêm aumentando em volume por vários fatores, como crescimento populacional, aumento do poder aquisitivo e maior utilização das embalagens plásticas devido à facilidade de transporte, distribuição e diminuição de desperdício de alimentos, principalmente.

A quantidade de resíduo de PVC na composição do lixo da coleta seletiva é muito pequena. Isso ocorre porque o PVC é mais utilizado em produtos de longa duração, como tubos e conexões, fios e cabos para a construção civil. O longo ciclo de vida útil dos produtos de PVC termina por ampliar o tempo necessário para que se tornem resíduos. Para se ter ideia, 70% dos produtos de PVC têm vida útil entre 15 e 100 anos. Outros 22% de 2 a 15 anos e apenas 8% são considerados descartáveis com durabilidade até 2 anos.


A taxa de reciclagem do PVC


No Brasil, a taxa de reciclagem mecânica do PVC pós consumo tem crescido ano após ano. Em 2005, quando o Instituto Brasileiro do PVC começou a monitorar a indústria de reciclagem de PVC pós consumo no país, a taxa de reciclagem era de 13,7%. Dados da última pesquisa realizada com base em dados de 2014, mostraram que a reciclagem do PVC atinge 17,1%. Veja os indicadores de reciclagem clicando aqui


Lista de recicladores de PVC: clique aqui para acessar 


A pesquisa chamada de “Monitoramento do Índice de Reciclagem Mecânica do PVC no Brasil" tem abrangência nacional e cumpre métodos de pesquisa estabelecidos pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 


Reciclagem de Cartões


O Instituto Brasileiro do PVC é apoiador do “Programa RC – Reciclagem de Cartão”, da empresa RS de Paula, que tem como objetivo reforçar a importância da educação ambiental e da coleta seletiva, por meio do descarte correto de cartões de PVC e outros plásticos (crédito, débito, seguro-saúde, fidelidade, cartões-presentes, entre outros), demonstrando assim a viabilidade técnica da reciclagem desses materiais que são 100% recicláveis.

O programa existe desde 2012 e atualmente as máquinas Papa Cartão® estão presentes em cerca de 77 pontos pelo Brasil, em empresas, shoppings, estações do metrô, aeroportos, condomínios, feiras e eventos, universidades, entre outros.

 

Papa cartão®

A coleta dos cartões se dá através de máquinas Papa Cartão®, desenvolvidas pela fabricante de cartão e recicladora RS de Paula.

Os equipamentos trituram os cartões, inutilizando-os para o uso, mesmo que contenham chips e tarjas magnéticas. O acionamento da estação coletora é manual, não gerando gasto com energia elétrica e facilitando sua instalação.

Cada máquina comporta cerca de 2.000 unidades de cartões.

 

Transformação

Periodicamente é realizada a coleta dos cartões triturados em cada Papa Cartão® e o material é enviado à recicladora.

Todo o material é pesado e encaminhado para triagem para a separação manual do material, com e sem chip e outros materiais, valorizando ainda mais a matéria prima. Na sequência, é realizada a trituração em pedaços ainda menores. Estes são depositados em prensas e o produto obtido é a placa de mosaico de cartão, que dá origem a diversos produtos.

 

O que pode ser produzido

Brindes, cadernos, caixas, bloquinhos, porta-retratos, porta copos, pranchetas, marcadores de páginas, porta lápis, porta clips, cartões de visita, além de material de sinalização interna e identidade visual entre outros.

 

Pontos de coleta

Aeroporto de Fernando de Noronha – PE;

AGU – Advocacia Geral da União – DF;

ANA – Agência Nacional de Águas – DF;

Associação Mato Grossense dos Transportes Urbanos – MT;

Braskem – SP (02 Papa Cartão®);

Câmara dos Deputados – DF;

Centro Sebrae de Sustentabilidade – MT;

Centro de Eventos Pantanal – MT;

CEU Pera Marmelo – SP;

CEU Vila Atlântica – SP;

Colégio Fazer Crescer – PE;

Concais S.A. – Santos – SP;

Cond. Edifício José Bonifácio de Andrada e Silva – SP;

Conjunto Nacional – São Paulo – SP;

Corpo de Bombeiros – DF (02 Papa Cartão®);

Eletropaulo – SP;

Escola Total de Santos – SP;

Estação de Metrô Consolação – SP;

Estação de Metrô Luz – SP;

Estação de Metrô Paraíso – SP;

IBAMA – DF;

Instituto Butantan – SP;

Instituto Federal do Rio de Janeiro – RJ;

Instituto Mackenzie;

Instituto Nacional do Câncer INCA – RJ (02 Papa Cartão®);

Hotel Pestana – RJ;

METRUS – SP;

MF – Ministério da Fazenda - DF;

MMA – Ministério do Meio Ambiente - DF (02 Papa Cartão®);

MME – Ministério de Minas e Energia - DF;

MP – Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – DF;

MTE – Ministério do Trabalho e Emprego - DF;

PAT – Salto – SP;

Instituto Brasileiro do PVC/Plastivida – SP;

Porto Seguro – Unidade Alameda Barão de Piracicaba – São Paulo – SP;

Porto Seguro – Unidade Alameda Glete – São Paulo – SP;

Porto Seguro – Unidade Barra Funda – São Paulo – SP;

Porto Seguro – Florianópolis – SC;

SEBRAE – SP;

Seguros Unimed – Matriz – São Paulo – SP;

Seguros Unimed – Edifício 7 de abril – São Paulo – SP;

SENAC Tatuapé – SP;

SESC – DF;

SESC – PE (02 Papa Cartão®);

SGPR – Secretaria Geral da Presidência da República – DF (02 Papa Cartão®);

Shopping Center Norte – SP (02 Papa Cartão®);

Shopping Cidade – MG;

Shopping Continental – SP;

Shopping Del Rey – MG;

Shopping Itaú – MG;

Shopping Lar Center – SP;

Shopping Minas – MG;

Shopping Plaza Casa Forte – PE;

Shopping Rio Mar – Recife;

Shopping Uberlândia – MG;

STJ – Superior Tribunal de Justiça – DF;

Tribunal de Contas do Mato Grosso – MT;

Tribunal de Justiça do Estado do Pará – PA;

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro – RJ;

Unimed Costa Verde – RJ;

Unimed Itatiba – SP;

Unimed Maringá – PR;

Unimed Marquês de Valença – RJ;

Unimed Pato Branco – PR;

Unimed Rio Preto – SP;

Unimed Sul Capixaba – ES;

Unimed Vitória – ES (02 Papa Cartão®);

Universidade Caxias do Sul – RS;

USP – Escola de Artes, Ciências e Humanas – SP;

USP – Faculdade de Medicina – SP



Parceria com ministério do meio ambiente (MMA)

Campanha de Reciclagem de Cartões de Plástico

 

Parceria da Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida e RS de Paula com o MMA, por meio do Programa Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P.

 

A campanha existe desde 2015 quando foram instaladas máquinas Papa Cartão® em 11 órgãos públicos e atualmente há 15 pontos de coleta instalados na Esplanada dos Ministérios (DF):

 

AGU – Advocacia Geral da União

ANA – Agência Nacional de Águas

Câmara dos Deputados

Corpo de Bombeiros (02 Papa Cartão®)

IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

MF – Ministério da Fazenda

MMA – Ministério do Meio Ambiente (02 Papa Cartão®)

MME – Ministério de Minas e Energia

MP – Ministério Público do Distrito Federal e Territórios

MTE – Ministério do Trabalho e Emprego

SGPR – Secretaria Geral da Presidência da República (02 Papa Cartão®)

STJ – Superior Tribunal de Justiça 



Ciclo de vida do PVC e suas vantagens ambientais


O que é a análise de ciclo de vida?


A análise do ciclo de vida (ACV) de um produto, por definição, a partir da série de normas ISO 14000 do subcomitê SC5, constitui-se num instrumento que permite o desenvolvimento de critérios e procedimentos objetivos para a avaliação do impacto ambiental de produtos. Esta avaliação considera seu ciclo de vida completo, isto é, desde a sua concepção (projeto) até o término da vida útil, com a sua disposição ou recuperação. Envolve, portanto, a contabilização de muitos parâmetros durante os diferentes estágios de processos de um produto, a sua distribuição e a gestão dos rejeitos, parâmetros esses que podem mudar ou variar de região para região.


Para a realização da ACV de um material, leva-se em consideração critérios de eficiência técnica, econômica e ambiental, com vistas a determinar as condições de contorno para a sua fabricação. Também conhecidas como limites de um sistema, elas delimitam o conjunto de operações industriais ou 'sistema industrial' e o 'sistema meio ambiente'. 


Para esta análise, também chamada de 'do berço ao túmulo', são avaliadas todas as etapas de um processo produtivo, partindo-se da matéria-prima, se proveniente de recursos naturais ou não; a geração de subprodutos ou resíduos contaminantes de recursos naturais (água, solo e ar), até a possibilidade de sua reutilização, reciclagem ou a forma de disposição do produto após o uso.


O objetivo desta avaliação é determinar o impacto global de um produto ou serviço sobre o meio ambiente, durante seu ciclo de vida completo. De posse das informações pode-se comparar desempenhos ambientais de produtos fabricados com materiais diferentes para a mesma aplicação ou finalidade.


O ciclo de vida do PVC


De fato o PVC é um material diferenciado e possui excelente avaliação em estudos de ACV, que têm comprovado, cientificamente, que os produtos de PVC não causam mais impactos ambientais que os seus concorrentes. 


A Análise de Ecoeficiência de Janelas realizada em parceria com a Fundação Espaço Eco® (FEE®), primeiro estudo do tipo realizado no Brasil, e que teve como base a metodologia da Avaliação do Ciclo de Vida (AVC) conforme série de normas ISO 14040 mostra claramente isso. O estudo comparou a performance e aspectos ambientais de janelas brancas de PVC e janelas brancas de alumínio. Foram contempladas a produção, montagem, instalação, uso (com ar condicionado), manutenção e destinação final de janelas brancas de PVC e alumínio, considerando variações térmicas diferentes, em cidades como São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Natal (RN). 


Os resultados mostraram que a janela de PVC é mais ecoeficiente que a janela de alumínio. Clique aqui para maisdetalhes sobre o estudo. 

Instituto Brasileiro do PVC - Av. Chedid Jafet, 222 - Bloco C 4º andar - Vila Olímpia - CEP 04551-065 - São Paulo - SP | Tel. 11 2148-4735 - info@pvc.org.br
© 2019 Instituto Brasileiro do PVC