Instituto Brasileiro do PVC

PVC na mídia

Cadeira de fio: 6 peças inspiradas no clássico do design afetivo - Março 2021

Amplamente reconhecidas por sua simplicidade, as peças são referências quando o assunto é design com identidade tropical


Com design simples, mas carregado de memória afetiva, esse mobiliário popularmente conhecido como cadeira de fio, ou cadeira espaguete, se tornou um ícone do desenho brasileiro e latino. Mesmo com sua autoria desconhecida, seu design atemporal ao longo das décadas inspira criativos de todo o mundo a recriarem peças memoráveis.


Sua estrutura feita de tubos metálicos, onde se enrolam originalmente fios plásticos de PVC, consegue carregar nas tramas a típica identidade tropical, pois entre o espaçamento dos fios permite a passagem do ar tornando-a arejada e leve.


A versatilidade também impressiona, pois apesar de comumente conhecida como um ítem de área externa, a peça pode surgir como protagonista em diferentes ambientes da casa nas suas mais variadas cores, versões e materiais. A seguir, veja 6 ideias de decoração com cadeira de fio:





1. Para homenagear a poetisa brasileira Adélia Prado, esta cadeira de fios assinada pelo designer Francisco Oliveira carrega em seu desenho uma simplicidade que acalenta. Ao exportar para o design elementos do cotidiano da escritora, a peça faz uma abstração da linha escrita. Por ser uma cadeira de balanço, traz consigo ainda mais a sensação acolhedora de cadeira de vó. Mesmo sob a ambiência brutalista, o tramado azul em corda náutica quebra a rigidez, simbolizando um ponto de aconchego cada vez mais necessário.





2. Da preocupação em criar um design utilizando poucos elementos nasce a cadeira M100, obra do arquiteto chileno Matías Ruiz Malbrán em que cada elemento cumpre uma função específica. Neste living projetado pelo escritório The Project, tons neutros e mobiliários esbeltos garantem a atmosfera serena do espaço. Nele, a dupla de cadeiras se destaca com uma anatomia irreverente, onde estrutura e trama evocam leveza.





3. Neste imóvel em Nova York, o jovem proprietário contou com o auxílio da arquiteta Suchi Reddy para transformar a residência transitória em um apartamento solar e memorável. A solução foi manter a arquitetura intacta enquanto uma potente seleção de mobiliário exala a identidade do projeto. Na sala de jantar, as cadeiras Tropicália, de Patricia Urquiola para Moroso, são incluídas em torno da mesa com suas majestosas variações de materiais. Sobre a mesa, o pendente Vertigo, da Petite Friture, compõe perfeitamente com o conjunto.




4. Localizada em Girardot, Colômbia, esta casa com projeto assinado por De la carrera cavanzo⁠ e interiores de Studio Tarq traz em seu jogo primoroso de cores, materiais e vegetação uma essência que conecta seus usuários com o entorno. Na sala, a escolha pela cadeira Tucurina Tres, produzida pelo coletivo de design Tucurinca, resgata as técnicas tradicionais colombianas e reforça ainda mais essa conexão com as origens.





5. Neste ambiente criado para um empreendimento da Idea Zarvos, na Vila Ipojuca em São Paulo, o Sala 2 Arquitetura tinha como premissa trazer para o apartamento características de uma casa. Assim, a escolha minuciosa de um mobiliário nacional reforçou ainda mais o conceito de raízes que um lar precisa ter. Na varanda, para pontuar um espaço arejado, a cadeira La Central, de Guilherme Wentz, para Cremme , se torna peça chave para evocar experiências sensoriais e nostalgia.





6. Feita da composição de Corda Náutica e alumínio, a cadeira Chá Verde, assinada pela Plataforma 4 para Líder, traz em seu desenho acolhedor um convite automático ao repouso. Nesta varanda assinada pelas arquitetas do Studio N Ideias, o conjunto serve de contraponto para a decoração monocromática, deixando em evidência as tramas roxas. Sua estrutura preta também compõe perfeitamente com os detalhes arquitetônicos do projeto.


Fonte: Casa Vogue

Instituto Brasileiro do PVC - Av. Chedid Jafet, 222 - Bloco C 4º andar - Vila Olímpia - CEP 04551-065 - São Paulo - SP | Tel. 11 2148-4735 - info@pvc.org.br
Copyright © 2017 – 2021 Instituto Brasileiro do PVC